Blog do Henrique Fontes

Dedico esse espaço a relatos sobre minhas andanças cobrindo e produzindo concursos, outras paixões, como o futebol e o esporte em geral, ou quaisquer outros tópicos que me venham a cabeça. Espero que curta.

Minha foto
Nome:
Local: São Paulo, São Paulo, Brazil

27.9.08

Global Beauty Queen 2008 - A Final


Saimos do hotel às 7 da noite, levados por uma limosine até o Ningbo Grand Theater. Fomos no automóvel a Pawina (vice-Miss 2007), o marroquinho vencedor do Manhunt, Alex, Nina, Shaun e eu. Fomos recepcionados com tapete vermelho e levados até a sala VIP. Lá tivemos que ensaiar a entrada dos jurados, um pequeno mico que faz parte do espetáculo: entramos em fila indiana, carregando uma fita vermelha, que na sua extremidade era conduzida por um bailarino chinês. Caminhávamos entre as misses no palco, e logo cada jurado era apresentado para o público, que lotava o teatro de Ningbo.

Antes de entrar em cena, estávamos com algumas candidatas no "backstage", elas posicionadas para entrarem em cena vestindo seus trajes típicos. Aquele momento foi interessante. Observei cada uma delas, inclusive a Nayara (Rio de Janeiro), e notei o nervosismo e emoção da grande maioria. Para algumas, aquele é o momento da vida delas, mesmo não sendo um Miss Mundo ou um Miss Universo. Bem ou mal, no momento em que entrassem em cena, 500 milhões de pessoas estariam vendo aquelas moças desfilando, atuando, ou apresentando algum tipo de talento. Para muitas, um sonho que se tornava realidade.

A Miss Bangkok, com um dos mais belos trajes, percebeu que estava sendo observada e sorriu para mim. Sorri para ela também , desejando boa sorte.

Show time!

Número de abertura, apresentação dos jurados, e quando já estávamos posicionados nos nossos assentos, uma a uma, as 62 candidatas foram apresentadas. Logo depois elas seriam apresentadas em um número dançado em trajes de banho. O desfile de trajes de noite aconteceu em seguida, durante a apresentação de um cantor chinês. Todas também desfilaram com criações de estilistas locais.

Logo veio a escolha da Global Beauty China, título disputado pelas concorrentes chinesas. A escolha foi feita por um júri a parte, e a vencedora foi... A Miss Shenzhen, aquela que na preliminar vestiu o maiô da vovó e sugeriu que no próximo ano os organizadores convidem candidatas mas feias, para ela poder ganhar. E não é que acabou levando o dela?? E agora com o vestido da vovó...

O show continuou, e foram então chamadas as 15 semifinalistas. Esse é aquele momento em que com uma navalha se pode cortar o ar. A apreensão no rosto de todas elas é evidente. Algumas fecham os olhos e aplaudem nervosas quando o nome de outra miss é chamado. E o apresentador começa a chamá-las...

Sydney, Bangkok, Seúl, Moscou, Atenas, Kuala Lumpur, Talin, Chilsenau, Caracas, Belgrado...
...RIO DE JANEIRO (Nayara, cujo coração parecia que ia sair pela a boca, sorri aliviada e caminha para o grupo das classificadas)...

Ulan Bator, Ierevan, Toronto, Pequim (única chinesa classificada) e Cingapura (eleita pelos votos da internet).

O grupo estava dentro do esperado, sem muitas surpresas (Cingapura entrou por votos comprados na internet, caso contrário ela teria sido a única surpresa). Senti falta somente da linda Miss Almaty. Essa realmente não deu para entender ficar de fora...

Todas as 15 tiveram então que responder a uma mesma pergunta: "O mundo hoje enfrenta muitos problemas. Comente um deles e diga que solução você teria para combatê-lo". É importante ressaltar que a pergunta havia sido passada de antemão, para não pegar ninguém de surpresa.

A primeira a responder foi a Miss Atenas. A grega pediu ao apresentador que repetisse a pergunta (que supostamente ela já sabia) três vezes, e ainda assim não conseguiu respondê-la. A Miss Caracas respondeu em espanhol, sem a ajuda de um tradutor. O apresentador, com jogo de cintura, fingiu traduzir em chinês, arrancando gargalhadas do público presente.
De certa forma, aquelas entrevistas pareceram as conduzidas por Bob Barker, no Miss Universo nos anos 70, momentos clássicos dos concursos de beleza, regados a muito bom humor.

Chegou a vez da Miss Rio de Janeiro. Nayara falou sobre o problema da escassez de água doce no mundo, apontando com soluções a criação de reservatórios e a necessidade que se tem de não desperdiçarmos água, evitando deixar torneiras abertas, não prolongando banhos, etc. Falou em inglês correto e de forma muito coerente.

A Miss Ulan Bator, muito esperta, começou a sua resposta dizendo, "Assim como ressaltou a Miss Rio de Janeiro, a escassez de água é um problema sério...". Pô Miss Ulan Bator, assim não vale!

Esta foi sem dívida a parte mais cansativa do concurso, é claro que ouvimos muita abobrinha e bem sabemos, nenhuma delas vai resolver os problemas da humanidade. As entrevistas poderiam ter sido substituídas por um desfile de moda praia (não dançado).

Antes do anúncio do resultado final, diversos prêmios foram distribuídos, desde Miss Talento, até Miss Caridade e Miss Sabedoria! Neste momento fui convidado ao backstage, onde me disseram que eu anunciaria a quinta colocada. Me deram um envelope vermelho, e me empurraram... "Ok, GO!".

Abri o envelope... "The 4th runner-up is... Miss Tallinn".

A loirinha da Estônia comemorou como se tivesse ganho. Fui ao centro do palco, beijinhos, parabéns, e corri de volta para o meu lugar para fotografar os momentos finais. Chegando lá, já haviam anunciado a quarta colocada, Miss Chisinau (quem na minha opinião deveria ter ficado com o segundo lugar).

O terceiro lugar foi uma surpresa: Atenas. Apesar de bonita, o papelão na hora de responder a sua pergunda deveria ter sido suficiente para tirá-la do "top 5". Muitas meninas reclamaram posteriormente, e com razão...

Naquele momento o que viria a seguir era evidente: segundo lugar para a Miss Pequim (nesses concursos realizados na China sempre uma candidata da casa chega perto, mas não leva) e a Global Beauty Queen 2008 seria a Miss Moscou. Aliás, no ano passado a vencedora também veio da Rússia.

Yulia Krylova, a vencedora, é uma mulher de beleza clássica, estilo "Bond Girl" de antigamente. Tem ares de diva do cinema, um parecido à atriz Ursula Andrews nos seus melhores dias. Venceu quase que por unaminidade, sendo grande merecedora do título.

O concurso me surpreendeu positivamente, foi entretido, extremamente bem produzido e coreografado. A nossa Nayara sabe que poderia ter ido mais longe se estivesse na sua melhor forma física (ela acabou gostando da comida chinesa e deu uma boa engordada aqui), mas nos represnetou muito bem, conseguiu classificar-se, e deu um show na hora de responder a pergunta final.

Com ela, são três classificações do Brasil seguidas no evento, desde que começamos a enviar as candidatas brasileiras ao Global Beauty Queen: Carol Martins foi finalista em 2006, Anelize Garcia e Nayara Lima semifinalistas em 2007 e 2008.

Parabéns à nova Global Beauty Queen, Yulia Krylova de Moscou, Rússia.

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home